Que Tipo de Serviços de Design de Interiores Proporcionam os Profissionais?

A visibilidade que os programas e blogues sobre remodelações e “design” de interiores têm tido está a colocar em foco a profissão de “designer” de interiores.

Algo que ainda confunde muita gente é saber qual a diferença entre o “design” e a decoração de interiores. Ainda por cima, em geral, um “designer” de interiores está habilitado para fazer decoração, mas um decorador sem formação específica não pode fazer o trabalho de um “designer”.

Se lhe pedirem, talvez possa apresentar um bom projeto, caso tenha estudado algumas noções de “design” de interiores, mas o mais provável é que seja um golpe de sorte. E quem joga numa slots app sabe que a sorte dificilmente bate à porta duas vezes – logo, uma formação adequada será essencial.

Um “designer” de interiores profissional é alguém com educação formal e reconhecida nessa área. O seu trabalho, em traços gerais, é o de planear a disposição do interior de um edifício; trabalham com plantas e modelos para chegarem construction3à disposição final. São eles que definem a abertura e o espaço das divisões, tendo em atenção fatores estruturais, mas também a luz natural que será disponibilizada.

Por exemplo, ao olharmos para a planta de uma casa vemos detalhes como a localização das portas, quais as divisões indicadas para servirem de quarto, cozinha, casa de banho, sala e outros. Em princípio, terá sido um “designer” de interiores quem delineou estes elementos. Estes profissionais podem também trabalhar na área comercial, desenhando edifícios de escritórios, centros comerciais ou dependências bancárias.

Para chegar até aqui, o “designer” de interiores teve de completar uma aprendizagem que incluiu educação formal, com um curso superior ou profissional. É necessário que tenha bases sólidas em assuntos como os materiais a utilizar, as regras e regulamentações locais e as questões de segurança a observar.

Aqui se começa a perceber porque é que um “designer” de interiores com bom olho para a estética pode ser um bom decorador, mas um decorador sem formação específica não pode fazer o trabalho do “designer” de interiores. Este último tem de passar por um processo moroso de educação e experiência, que o mercado de trabalho acaba por vir a recompensar.