Os Designers de Interiores Precisam Mesmo de um Curso?

Será mesmo necessário investir anos de estudos para seguir uma carreira como “designer” de interiores? Porque não assistir a alguns vídeos tutoriais na Internet, comprar um livro ou dois e fazer o resto sozinho?

O mercado do “design” de interiores tem já uma grande concorrência. Enquanto o autodidata pode até conseguir alguns trabalhos, uma carreira faz-se da sua manutenção firme e do crescimento. O “designer” de interiores que estudou e possui bases teóricas sólidas e um conhecimento profundo das normas de segurança, leis e regulamentações da indústria estará muito mais bem equipado para se adaptar às mudanças e evoluções do meio.

Começar uma carreira como “designer” de interiores sem ter formação é como pilotar um avião sem ter tido aulas. Para evitar o desastre, ou se tem imensa sorte e intuição ou se é um génio. É certo que se pode recolher e compilar informação, aprender sobre materiais e estruturas, estudar as leis e até aprender a mexer CREATIVE_1com os programas de computador associados à profissão. Mas, se quer começar desta forma, vai estar em desvantagem quando confrontado com um recém-licenciado que teve professores dedicados e um ensino estruturado e dirigido especificamente para o preparar para o mercado de trabalho. A não ser que tenha muito bons contactos na indústria e um talento natural já a revelar-se, não recomendamos esta opção.

Quem optar pelo curso em Design de Interiores irá logo à partida encontrar mais portas abertas, pois as empresas do ramo contratam (ou proporcionam estágios) apenas trabalhadores com formação superior. Isto é cada vez mais verdade quanto maior o número de alunos que se vão licenciando todos os anos e quando se procura a excelência.

Existem casos de processos de seleção e recrutamento em empresas em que o responsável pela triagem de candidatos imediatamente descarta os currículos que não apresentam um curso na área pretendida.

Não só a formação específica permite que se adquiram conhecimentos e bases sólidas, mas ela é também uma enorme mais-valia para a entrada no mercado de trabalho. É sem dúvida esta a via que recomendamos.