O que é o Design de Interiores e em que Difere da Decoração

Se fizermos uma rápida pesquisa num motor de busca, percebemos que existem diferenças marcantes entre o “design” e a decoração de interiores.

Antes de mais nada, o “designer” de interiores necessita de estudar e de obter uma qualificação formal para poder exercer a sua função, enquanto qualquer pessoa pode dedicar-se, com maior ou menor sucesso, à decoração de interiores. Além disso, um “designer” de interiores pode acumular a função de decorador, enquanto o contrário, pelos menos de acordo com Fresh-green-interior-design-HDa lei, já não é possível.

Então, onde se separam as águas? Um “designer” de interiores desenha todo o espaço interior, lidando com aspetos estruturais, com os materiais utilizados, a iluminação, a canalização, a colocação de portas e janelas e a ventilação. Trabalha em conjunto com arquitetos e trabalhadores da construção civil e tem que obedecer a leis, normas e regras locais que presidem à construção de todos os edifícios.

Um decorador de interiores pode trabalhar com um “designer” de interiores, mas as suas funções resumem-se, quase na totalidade, a questões estéticas. São elas, por exemplo: que combinações de cores escolher para obter um determinado efeito em dada divisão, como conjugar iluminação natural e artificial para obter os melhores efeitos de luminosidade ou que tapetes ou padrões de cortinados ficam melhor de acordo com os gostos e necessidades do cliente.

Uma opção potencialmente arrojada para um “designer” de interiores que goste da parte de decoração e tenha um apurado sentido estético é a especialização num determinado tipo de edifícios.

Existe um mercado altamente favorável, do ponto de vista pecuniário, para “designers” de interior que se responsabilizam por trabalhos específicos, como a decoração de hotéis, casinos ou, porque não, de navios de cruzeiro. Nestas indústrias é essencial manter uma imagem moderna e atual, sendo frequentes as alterações de imagem.

Um “designer” de interiores de sucesso deixa a sua marca pessoal no trabalho feito e será muitas vezes a primeira escolha num novo trabalho requisitado pelo mesmo cliente.