5 Coisas que todos os Designers de Interior devem saber

Existem aspetos que marcam a diferença num projeto de design de interiores. Se a mudança que o cliente procura fosse simples ou meramente decorativa, provavelmente não estaria a recorrer a um profissional.

5 aspetos que um designer de interiores terá de manter presente a cada novo projeto

* Ouvir o cliente . Tentar compreender o que este pretende; o que quer e, sobretudo, o que não quer; qual o seu orçamento e prazos. Se não perceber o que este está a projetar na sua mente, questione-o; analise com ele as possibilidades ou não do projeto que este idealizou; apresente-lhe alternativas e soluções.

humble* Ser humilde. Nunca se esqueça de que está a prestar um serviço e o objetivo é ajudar o cliente a obter o que deseja e não criar o espaço que você deseja.

* Estruturar as ideias, visualizar o contexto global e transformá-lo. Por exemplo, os móveis e a iluminação são complementares ao design geral de um espaço; eles desempenham um papel fundamental na funcionalidade, mas se quiser criar um lugar memorável terá de fazer uma mudança estrutural, quebrar de algum modo com o que existia anteriormente – adicionar ou remover uma parede, arquear uma porta, rebaixar um teto, mudar uma textura – marque a sua intervenção naquele projeto.

* Existem cinco elementos no projeto estrutural com os quais se podem trabalhar: horizontalidade, verticalidade, angularidade, curva geométrica e curva livre. A opção por um o outro elemento, ou a combinação de vários, definirá a complexidade do projeto.

* Pensar na funcionalidade da divisão que está a trabalhar e como as pessoas vão interagir com ela e nela. Por exemplo, se está a trabalhar num projeto de um espaço público – como a sala de espera de um banco – um sofá de 3 lugares poderá não funcionar pois implicaria que estranhos se sentassem com uma proximidade incómoda; a opção certa seria a de escolher sofás ou cadeiras individuais.